Resenha: Quarto

16 maio 2016

Faz tanto tempo que eu não escrevo uma resenha de livro que já nem sei por onde começar, principalmente quando se trata de um livro tão incrível como Quarto.
Quarto
Room
Autor: Emma Donoghue
Editora: Verus
Ano: 2011
Páginas: 349
Nota:
Sinopse: Para Jack, um esperto menino de 5 anos, o quarto é o único mundo que conhece. É onde ele nasceu e cresceu, e onde vive com sua mãe, enquanto eles aprendem, leem, comem, dormem e brincam. À noite, sua mãe o fecha em segurança no guarda-roupa, onde ele deve estar dormindo quando o velho Nick vem visitá-la. O quarto é a casa de Jack, mas, para sua mãe, é a prisão onde o velho Nick a mantém há sete anos. Com determinação, criatividade e um imenso amor maternal, a mãe criou ali uma vida para Jack. Mas ela sabe que isso não é suficiente, para nenhum dos dois. Então, ela elabora um ousado plano de fuga, que conta com a bravura de seu filho e com uma boa dose de sorte. O que ela não percebe, porém, é como está despreparada para fazer o plano funcionar.
Jack nunca teve contato com o mundo exterior (ou o Lá Fora como ele fala durante o livro) e para ele nunca existiu um mundo fora do quarto.
Ele vive confinado com sua mãe e ela é a única pessoa que ele conhece ou já manteve contato. Foi dentro do quarto e com os ensinamentos de sua mãe que ele aprendeu a ler e escrever (coisas que ele faz com bastante destreza), e é lá que ele passa alguns anos de sua infância, brincando com utensilios improvisados e sendo amigos dos personagens da televisão dos quais ele sempre achou que não passasse de algo mágico e que não existisse.
Sua mãe foi sequestrada aos dezenove anos e ficou presa em cativeiro por sete anos. Quando o garoto faz cinco anos, ela resolve começar a desmentir algumas coisas que ela contou a ele e uma delas é sobre como algumas coisas que ele vê na televisão é realmente real e que existe todo um mundo fora do quarto esperando por ele.
— Eu desci e fui criança como você, e morava com meu pai e minha mãe.
Sacudi a cabeça.
— A mãe é você.
— Mas eu tive a minha, que eu chamava de mamãe. Ainda tenho.
Por que ela estava fingindo assim? Era uma brincadeira que eu não conhecia?
Os dois elaboram um plano com o nome de Fuga do Inferno e Jack é parte crucial nisso. A Mãe confia em seu filho curioso de cinco anos para salva-los do quarto e das mãos do sequestrador do qual eles apenas conhecem como Velho Nick.

O livro é narrado em 1ª pessoa por Jack e a cada linha eu me apaixonava mais ainda por ele e sentia necessidade de protege-lo.
Ele vai contando sobre seus dias no Quarto e depois que fogem, ele vai tendo experiências novas e uma delas é respirar ar puro ou simplesmente falar com outras pessoas.
Jack vai amadurecendo a medida que vai se desenvolvendo a narrativa e ele vai descobrindo coisas novas e experimentando saber o que ele gosta ou não, uma delas é sapato, pois eles nunca tiveram sapatos dentro do Quarto.
— Eu não gosto.
A giratória empacou, não queria girar, foi me espremendo pra fora.
— Segure a minha mão.
— O vento vai rasgar a gente.
Fiquei sabendo do livro por conta do lançamento do filme Room (no Brasil, O Quarto de Jack) e assim que terminei de ver o filme sabia que precisava ler o livro.
O roteiro do filme foi escrito pela própria autora, ou seja, ele foi o mais fiel possível ao livro, embora o filme não conta algumas coisas como o fato da Mãe já ter engravidado outra vez do Velho Nick, sobre a Mãe ter um irmão chamado Paul e uma filha pequena que é a primeira criança com a qual Jack tem contato. O filme passa a ideia de que a Mãe e Jack ficam morando com a Vovó, mas no livro os dois se mudam para um apartamento onde cada um tem um quarto para "pensar" sozinho.

Brie Larson (a Mãe) ganhou o Oscar de Melhor Atriz dentre todos os outros prêmios aos quais ela foi indicada por conta do filme. Jacob Trembley (Jack) ganhou o Critics Choice Awards de Melhor Ator Jovem e achei muito injusto a falta de indicação dele no Oscar e não fui a única a achar isso.
Para terminar o post, fiquem com esse vídeo maravilhoso de Jacob recebendo seu prêmio, porque se você não ficou com vontade de ler o livro ou ver o filme, Jake vai ter fazer mudar de opinião.

8 comentários

  1. oi, oi.

    eu vi o filme, mas não cheguei a ler o livro. depois da tua resenha, me bateu uma curiosidade. parece ser bem bom. <3 já coloquei na listinha! amo esse livro que fazem a gente se emocionar do início ao fim. <3

    bjs!
    Não me venha com desculpas

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Recomendo demais, é muito bom. Já entrou na lista de favoritos.
      Beijos

      Excluir
  2. não li o livro ainda, mas amei o filme, chorei horrores, acho que o livro deve ser tão bom quanto ou melhor.

    http://entrevereviver.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sou suspeita pra dizer, mas o livro é bem melhor. Sempre é melhor, hahaha.
      Vale a pena e até rende umas lágrimas.

      Beijos

      Excluir
  3. Quero ler o livro antes de ver o filme. Procurando no skoob agora.
    hahah
    beijos

    http://www.cherryacessorioseafins.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nossaaa, o livro parece ser tão incrível quanto o filme! E eu nem sabia da existência dele, com toda certeza irei ler.
    Ameiiiii a resenha, me deixou super com vontade de correr para ler o livro, super serviu de indicação hahaha

    Beijoss, http://www.dontstopblog.com/


    PS.: Que blogg lindo, parabéns! *-* Entrou nos favoritos hahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico muito feliz que você tenha gostado e obrigada pelos elogios, hahaha.
      Beijos

      Excluir

© 2014 - wolfmess 🌵 | Base por Maira Gall | Modificações e Design por Jamile Galtério (eu!)